Archives of Anatomy publica artigos científicos, na área das ciências morfológicas, privilegiando a edição de matéria original, de investigação. Inclui também a publicação de trabalhos de revisão e de reconhecido interesse considerado pelo Corpo Editorial.

Os Editoriais são submetidos por convite do Editor-Chefe, versando temas actuais e de reconhecido interesse, não devendo exceder as 1200 palavras, nem conter tabelas, podendo se necessário, apresentar 1 figura e um máximo de 5 referências bibliográficas.

Os artigos são recebidos e exclusivamente tratados com os autores, a partir da introdução na plataforma da Sociedade Anatómica Portuguesa (SAP/AAP), acessível em http://www.sociedadeanatomica.pt/. Na folha de submissão dos artigos deve constar para o efeito o endereço electrónico do autor correspondente.

Após recepção do artigo, o Editor-Chefe encarrega-se da distribuição pelo Corpo de Árbitros, dando início ao processo de dupla arbitragem por pares. O Corpo de Árbitros integra elementos exteriores à Direcção da Revista, por convite formulado a insignes Anatomistas e Especialistas de renome, nacionais e internacionais, que aceitaram colaborar com Archives of Anatomy. Uma vez concluído o processo de arbitragem é elaborado um relatório e o trabalho pode ser aceite para publicação, com ou sem alterações, ou pode ser rejeitado por razões fundamentadas, sendo o autor informado do resultado, num intervalo de tempo que não deve ser superior a 60 dias. O artigo submetido pode ser rejeitado, mesmo sem arbitragem, por decisão do Editor-Chefe, por falta de originalidade, interesse limitado para os leitores da revista, falhas graves científicas ou metodológicas ou falta de actualidade.

As opiniões expressas nos artigos submetidos, são da inteira responsabilidade dos autores.

São considerados autores, todos aqueles que tiverem tido uma participação intelectual significativa e directa na concepção, concretização do trabalho subjacente, análise e interpretação de dados ou na elaboração do artigo. Para efeitos de publicação é recomendado o número limite máximo de 5 autores. A cada autor deve ser associado o título académico ou profissional mais elevado e a instituição que integra.

Todos os artigos estarão disponíveis de forma integral, aberta e gratuita aos sócios da SAP/AAP, sendo a consulta também acessível ao público interessado, mediante inscrição no portal.

Archives of Anatomy pauta a sua conduta editorial, na independência e no seguimento das boas normas internacionais para as edições biomédicas. Tem como objectivos,

promover a qualidade e actualidade científica e o conhecimento na área das ciências morfológicas e em particular da Anatomia.

A redacção dos trabalhos submetidos deve ser feita em letra Times New Roman, tamanho 12, com espaçamento duplo, justificado à esquerda, com margens de 2,5 cms, em páginas numeradas e inseridas com quebra de página. Os artigos devem ser apresentados em português ou inglês e os títulos e resumos devem ser redigidos em ambos os idiomas referidos. Deve constar também um título reduzido para o cabeçalho, em portugês e inglês. O título, obrigatóriamente conciso, não deve exceder 120 caracteres. Na folha do título devem constar, a razão da submissão e a mais-valia resultante da publicação pretendida. O resumo deve conter os objectivos, materiais e métodos, os resultados, as conclusões e um limite máximo de 250 palavras.

Devem ser inseridas palavras- chave, em número mínimo, inferior a sete, seguindo a terminologia do Medical Subject Headings (http://www.ncbi.nlm.nih.gov/mesh).

Em artigos originais, o corpo do artigo não deve exceder as 4000 palavras, excluindo as referências, legendas e tabelas. Deve conter uma introdução, materiais e métodos, resultados, discussão e conclusões.

Não devem ser usados acrónimos ou abreviaturas no título ou no resumo e o seu uso deve ser evitado, sempre que desnecessário, mesmo no texto. A utilização de abreviaturas no texto deve ser definida na primeira utilização, por extenso, seguida da inserção da abreviatura entre parêntesis. São aceites nos artigos originais, até 6 figuras ou tabelas no conjunto de ambas e o número limite de 60 referências bibliográficas.

As figuras devem obedecer ao formato EPS ou TIFF, CMYK, 300 dpi, não devendo ser colocadas no corpo do artigo, devendo ser citadas no texto e numeradas de acordo com a ordem de citação.

Cada figura, quadro ou tabela, deve ser acompanhada da respectiva legenda. No texto deve vir referenciado, o local de inserção de cada figura, quadro ou tabela.

No final do ficheiro é obrigatório o envio das figuras, legendas detalhadas para cada imagem e tabelas (estas a preto e branco).

As referências bibliográficas, cuja exactidão é da responsabilidade dos autores, devem ser citadas no texto por ordem numérica de introdução, com algarismos árabes.

Nas referências até 6 autores devem ser nomeados todos.

Ex: Furtado IA, Gonçalves-Ferreira AJ. O Instituto de Anatomia no Centenário da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa. Acta Med Port 2011, 24: 663-670.

Quando haja 7 ou mais autores devem ser nomeados os 6 primeiros, seguidos de “et al”.

A apresentação do manuscrito e nomeadamente das referências, rege-se pelas “Normas para apresentação dos manuscritos a publicar em Revistas Biomédicas” , do Committtee of Medical Journal Editors (Vancouver              Group), http://www.nlm.nih.gov/bsd/uniformrequirements.html

São aceites comunicações curtas, visando a apresentação de estudos preliminares de investigação, que não excedam 1000 palavras, devendo conter uma pequena  introdução, métodos utilizados, os resultados e a discussão, incluindo as conclusões já obtidas, não tendo neste caso mais de 10 referências.

Quando em presença de investigações em seres humanos, devem seguir-se as normas éticas consignadas na Declaração de Helsínquia, da “Association of World Medicine”, www.wma.nct e obter-se o consentimento informado dos pacientes em casos de estudos morfo-clínicos. Nos casos em que seja aplicável esta alínea, deve constar claramente na publicação o nº de aprovação pelo Conselho de Ética.

São aceites agradecimentos às instituições que tenham permitido a realização dos trabalhos, devendo ser referidas as fontes de financiamento, caso existam.

Os artigos de revisão não podem exceder as 3500 palavras de texto, 4 tabelas e/ou figuras e 50 referências.

Os casos de relação anátomo-clínica, justificam-se pela raridade, inovação metodológica ou de correlação terapêutica, entre outros e o texto não deve exceder as 1000 palavras, 15 referências bibliográficas e um número até 5, de tabelas e figuras. O resumo dos casos de relação anátomo-clínica não pode exceder as 150 palavras e deve conter os dados relevantes e as conclusões do artigo.

Podem ser aceites cartas ao Editor, contendo um comentário breve a um artigo da revista ou a emissão de uma corrente de opinião. Não dever ter mais de 400 palavras, 1 ilustração e até 5 referências, sendo dispensado de apresentar resumo.

É interdito o plágio, sujeito à moldura penal consignada na lei.

A submissão para publicação em Archives of Anatomy, implica a elaboração de carta assinada por todos os autores atestando a não submissão simultânea ou publicação prévia do trabalho noutra Revista, bem como a cedência de direitos de publicação e a ausência de conflitos de interesse.